O governo de Moçambique está a estudar a introdução de portagens em mais estradas nacionais. As conclusões deverão ser conhecidas até ao final do ano, anunciou o ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos.

Moçambique - Portagens

Carlos Bonete disse que a ideia central do estudo é garantir a disponibilidade de recursos para a manutenção e desenvolvimento das estradas, conferindo-lhes elevados padrões de transitabilidade e segurança rodoviária, à altura da crescente exigência dos utilizadores.

Para já, estão identificadas como vias com potencial para receber portagens as estradas Nacional Número 1, Beira – Machipanda, Nampula – Cuamba – Lichinga, Caniçado – Chicualacuala, Chimoio – Espungabera, Catembe – Ponta do Ouro – Boane, Nacional Número 1 e a Estrada Circular de Maputo.

Actualmente, em Moçambique apenas estão portajadas a Estrada Nacional 4, 7 e 9, e pontes de grande dimensão como sejam as de Xai-Xai (Gaza), Samora Machel (Tete), Save (sobre o rio do mesmo nome ligando as províncias de Inhambane e Sofala) e Armando Guebuza (sobre o rio Zambeze, ligando as províncias de Sofala e Zambézia).

Citado pelo “Notícias”, de Maputo, o ministro garantiu que a introdução de portagens será sempre antecedida de obras que coloquem as estradas em condições. No caso da Estrada Nacional 1, por exemplo, estão previstas obras por fases visando melhorar as condições de transitabilidade, devendo as portagens ser introduzidas à que medida que os troços intervencionados fiquem concluídos.

Comments are closed.