Moçambique está a negociar com a R.P. China o financiamento para a construção de um novo porto de águas profundas em Nacala-a-Velha, província de Nampula.

As autoridades moçambicanas pretendem obter do Banco de Desenvolvimento da China um empréstimo de 1,5 mil milhões de dólares, montante considerado suficiente para construir um porto com capacidade para processar 20 milhões de toneladas/ano, adiantou o ministro da Planificação e Desenvolvimento, Aiuba Cuereneia, citado pela Televisão de Moçambique.

“Uma equipa técnica moçambicana encontra-se na China a negociar este projecto devendo até final do ano dar-se início ao processo de construção”, adiantou o ministro.

Segundo aquele responsável, o Executivo moçambicano pretende igualmente construir uma linha de caminho-de-ferro entre Moatize, na província de Tete, e Nacala e favorecer a instalação de siderurgias na região.

O ministro garantiu que esta iniciativa governamental com suporte financeiro do Banco de Desenvolvimento da China, uma das maiores instituições bancárias do mundo, não colidirá com o programa de investimentos da multinacional brasileira Vale.

A Vale anunciou a intenção de investir mais de cinco mil milhões de dólares na construção de um porto de águas profundas igualmente em Nacala-a-Velha, com ligação ferroviária à região de Moatize, em Tete, a fim de escoar o carvão mineral que já começou a extrair e a exportar através do porto da Beira.

Os comentários estão encerrados.