O governo de Moçambique pretende concessionar a privados a gestão do aeroporto internacional de Nacala.

aeroporto de nacalaa

A decisão foi anunciada no final da reunião semanal do Conselho de Ministros moçambicano, em Maputo, e inscreve-se no projecto de reestruturação da empresa pública Aeroportos de Moçambique (ADM).

Segundo o porta-voz do governo moçambicano, Mouzinho Saide, com a concessão a privados pretender-se-á garantir a eficiência da gestão daquela infraestrutura aeroportuária e atrair para ela companhias aéreas estrangeiras. O aeroporto de Nacala tornar-se-á, assim, um placa giratória entre os voos domésticos e internacionais.

Não foi adiantada, no entanto, qualquer calendário para a abertura da gestão do aeroporto de Nacala a privados, nem se a opção será estendida a outros aeroportos.

Concebido e construído pela brasileira Odebrecht, em parceria com a Aeroportos de Moçambique, o Aeroporto Internacional de Nacala foi inaugurado em Dezembro de 2014 e tem capacidade para atender 500 mil passageiros e movimentar 5 mil toneladas de carga por ano.

O aeroporto entrou em funcionamento com voos comerciais operados pelas Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) e sua gestão está a cargo da ADM, responsável pela administração do espaço aeroportuário do país.

Ainda no âmbito da reorganização da Aeroportos de Moçambique está prevista a redução gradual do número de aeroportos que recebem voos internacionais, actualmente em número de oito.

 

Comments are closed.