O serviço de cabotagem em Moçambique vai reiniciar-se em Setembro próximo ao abrigo de um memorando de entendimento assinado quarta-feira em Maputo entre a estatal Empresa Moçambicana de Transporte Marítimo e Fluvial (Transmarítima) e a Peschaud Moçambique, noticiou a imprensa moçambicana.

As duas empresas terão já estabelecido um cronograma de actividades, de que consta o registo da sociedade a ser constituída em parceria entre as duas empresas, uma das quais, a Peschaud Moçambique, é uma subsidiária do grupo francês de logística terrestre, fluvial, lacustre e marítima Peschaud et Cie International.

O ministro dos Transportes e Comunicações de Moçambique, Carlos Mesquita, presente na assinatura do memorando de entendimento, assegurou que a cabotagem irá reduzir os preços das mercadorias nos locais de destino e contribuir de forma significativa para a redução da sinistralidade rodoviária, na medida em que
muitas mercadorias que são transportadas por estrada serão enviadas para os destinos por via marítima.

O presidente do Conselho de Administração da Transmarítima, Jafar Ruby, disse que o grupo francês é um parceiro bastante experiente na área da cabotagem, presente em vários países africanos, e acrescentou que as duas entidades vão em conjunto, seleccionar os navios mais adequados para operar na cabotagem em Moçambique.

O investimento necessário para o reinício do serviço de cabotagem em Moçambique está estimado em 10 milhões de dólares.

Comments are closed.