O Produto Interno Bruto (PIB) de Moçambique deverá contrair-se 2,2% este ano, para voltar a crescer uns modestos 2,7% em 2020, prevê o Economist Intelligence Unit (EIU), no seu mais recente relatório sobre o país.

O documento refere que esta evolução da economia de Moçambique deve-se à passagem das tempestades tropicais Idai, em Março, e Kenneth, em Abril, que causaram grande destruição nas explorações agrícolas bem como nas infra-estruturas, causando, entre outros factores, o aumento dos preços, com a taxa de inflação a situar-se em 6,1% este ano e 7,1% em 2020.

A EIU adianta que a economia de Moçambique atingirá taxas de crescimento mais elevadas a partir de 2021, com 5,6% nesse ano e no seguinte e 7,5% em 2023, último ano do intervalo analisado, quando está previsto o início da exploração dos depósitos de gás natural existentes em dois blocos da bacia do Rovuma.

O apoio internacional a Moçambique fará com que o défice orçamental em 2019/2020 se contraia, antes de voltar a crescer em 2021, reflectindo a queda acentuada das ajudas internacionais.

Tags:

Comments are closed.