O Grupo Moldtrans, destacado operador ibérico de transporte terrestre internacional, marítimo, aéreo e de distribuição nacional, logística, serviços de feiras e aduaneiros, iniciou uma campanha para promover a plantação de 1.000 árvores.

Para tal, conta com a colaboração dos seus clientes, colaboradores e agentes, tendo cada um recebido, como lembrança, um kit para plantar uma oliveira. O objectivo é também o de promover a consciencialização relativamente à luta devido às alterações climáticas, ajudando a compensar o impacto ambiental do scetor de transporte e logística.

O sector de transporte representa 25% das emissões totais de gases de estufa na Península Ibérica, dos quais 95% correspondem ao transporte rodoviário. Desde 2007, o impacto tem vindo a reduzir, quer por um impulso no transporte ferroviário de mercadorias, quer por outras medidas no sector, para além da optimização das emissões de gases por parte da indústria automóvel. Ainda assim, há muito a fazer para melhorar este sector; estas questões foram abordadas na última cimeira do clima, em 2019 (COP25), celebrada em Madrid.

A consciencialização é fundamental para o câmbio de mentalidade, pelo que o Grupo Moldtrans quis que a celebração deste Natal envolvesse os seus clientes, colaboradores e agentes europeus, convidando-os a participar na campanha de reflorestação a que chamou de “Juntos, Tornámo-lo Possível”. Os 1.000 kits distribuídos possuem uma pequena oliveira, embalada e pronta a plantar, com instruções (em português, castelhano e inglês), para ser colocada no solo ou num vaso. A oliveira é uma espécie especialmente adequada para a luta contra as alterações climáticas, já que é autóctone, muito resistente, não requer muita água, e tem uma boa capacidade de absorção de dióxido de carbono.

De acordo com os cálculos, quando as 1.000 pequenas árvores distribuídas nesta campanha alcançarem a sua maturidade, dentro de 40 anos, tais como os recentemente celebrados pelo Grupo Moldtrans, contribuirão para a absorção de mais de 21.700kg de dióxido de carbono, algo equivalente ao emitido por 10 automóveis que tenham circundado a Península Ibérica. Para além da árvore, a própria embalagem pode ser utilizada enquanto ninho, para pássaros ou outras espécies silvestres.

“Trata-se de um pequeno gesto, com o qual queremos contribuir na sensibilização da necessidade de implicação na luta contra as alterações climáticas. Também é a nossa forma de chamar a atenção e convidar os clientes, colaboradores e agentes, a reflectir em conjunto acerca de como podemos, entre todos, reduzir o impacto ambiental da nossa actividade, não apenas no transporte e na logística, mas também pessoalmente. As grandes políticas públicas e as iniciativas empresariais são essenciais para travar a degradação do meio ambiente, mas os pequenos gestos quotidianos também têm o seu impacto”, diz Carlos Moldes, presidente do Grupo Moldtrans.

Sobre a Moldtrans em Portugal

O Grupo Moldtrans, composto por diferentes empresas estrategicamente localizadas por toda a Península Ibérica, desempenha um papel de liderança no sector do transporte de mercadorias, com diversos serviços de logística global.

Em Portugal, estamos localizados no Porto, em Lisboa e em Águeda, cobrindo assim todo o país, contando com uma equipa experiente, dedicada e profissional em ambos os pólos.

Especificamente no transporte rodoviário, em regime de grupagem, oferecemos saídas bissemanais de e para Espanha, e saídas regulares de e para França, Itália, Inglaterra, Islândia, Países Baixos e Turquia. Podemos, ainda, oferecer diariamente saídas de, e para, toda a Europa em regime de carga completa, para além de serviços dedicados.

Fazemos parte das redes Security Cargo Network e Global Affinity Alliance, o que nos permite proporcionar solidamente serviços de transporte aéreo e de transporte marítimo.

Desde 2018, fazemos parte da rede Palletways, desenvolvendo a actividade a partir da Moldtrans Porto e do nosso novo pólo em Águeda.

 

Tags:

Comments are closed.