As actividades de logística do grupo Mota-Engil cresceram cerca de 5% no ano passado, com o volume de negócios a atingir os 159 milhões de euros (151 milhões em 2009).

As margens operacionais mantiveram-se relativamente estáveis, tendo o EBITDA crescido de 25,2 milhões de euros, em 2009, para os 32,3 milhões, no último exercício.

O grupo beneficiou da recuperação da actividade nos terminais portuários de que tem a concessão em Portugal, mas também do desenvolvimento das operações internacionais, nomeadamente na navegação de cabotagem em Angola, no negócio portuário no Peru e na actividade transitária.

Sobre o negócio do transporte ferroviário, a Mota-Engil referiu, sem especificar, a consolidação da posição da Takargo no transporte internacional de mercadorias.

O ano findo ficou marcado pela reorganização das participações do grupo na área da logística, assumindo-se a Tertir, cada vez mais, como uma subholding.

A logística garantiu, em 2010, 39% do volume de negócios da área de Ambiente e Serviços em que se inscreve. Uma área que este ano deverá crescer cerca de 10%.

Na apresentação dos resultados, Jorge Coelho, CEO do grupo Mota-Engil, confirmou que a Jerónimo Martins irá instalar-se na plataforma logística do Poceirão, uma notícia que o TRANSPORTES & NEGÓCIOS avançou em devido tempo.

Comments are closed.