A ANTP vai participar na próxima reunião negocial sobre o acordo colectivo de trabalho dos motoristas, mas continua, para já, a não descartar o cenário de uma paralisação.

A ANTP (Associação Nacional das Transportadoras Portuguesas) esteve hoje reunida com o secretário de Estado das Infraestruturas para saber o ponto de situação das negociações com os representantes dos motoristas e também para exigir fazer parte das negociações.

O presidente da associação, Márcio Lopes, citado pela “Lusa”, afirmou ter tido a garantia do Governo de que a ANTP vai ser chamada a participar na próxima reunião negocial, para a qual não foi apontada nenhuma data.

O mesmo responsável acrescentou ainda ter transmitido ao Governo a necessidade de promover uma reunião colectiva, em que estejam presentes os sindicatos e os representantes das transportadoras, para que seja possível chegar a um acordo.

“Para negociarmos com os sindicatos, primeiro temos de negociar com o Governo para encontramos soluções para o sector”, precisou o presidente da ANTP, sublinhando a necessidade de ser criada regulamentação que ajude a garantir a sustentabilidade das empresas.

Apesar da garantia de que a ANTP vai ser ouvida nestas negociações, Márcio Lopes não descarta a possibilidade de uma paralisação.

“Poderá, juntamente com a greve dos motoristas, haver uma greve dos transportadores. Tudo está em aberto”, precisou para sublinhar “que o Governo devia fazer mais”.

“Chegou a altura de o Governo parar para pensar que este não é um sector igual aos outros, porque não é, tudo depende dos transportes”, precisou.

Antes deste encontro, Márcio Lopes criticou o silêncio do Governo que, durante semanas, não respondeu aos pedidos de reunião da ANTP, tendo reiterado que há “uma certa revolta entre os empresários”, por não terem sido contactados pelo Governo dando conta das negociações com os motoristas, uma vez que vão ser afectados pelos aumentos salariais destes trabalhadores, já aprovados para o final do ano.

Comments are closed.