O sindicato dos motoristas de matérias perigosas anunciou o regresso à greve, por tempo indeterminado, depois de a ANTRAM ter divulgado um princípio de acordo sobre um salário base de 700 euros.

“Isto é mentira. Não aceitamos esta forma de negociar. Estamos determinados para já a romper com as negociações da forma como estão e avançar com uma greve no dia 23 de Maio, às 00h01, por tempo indeterminado”, disse à “TSF” o vice-presidente do SNMMP.

Hoje, na sequência da reunião de ontem, a ANTRAM emitiu um “esclarecimento” sobre a proposta do SNMMP, sustentando que o sindicato dos motoristas de matérias perigosas teve uma “clara mudança de postura”, após ter apresentado uma contraproposta de 700 euros de salário base, inferior aos 1 200 euros reivindicados inicialmente.

Pedro Pardal Henriques garante que tal proposta nunca foi apresentada. “É totalmente falso”, disse.

ANTRAM volta a esclarecer

A ANTRAM emitiu entretanto um novo esclarecimento, no qual rejeita qualquer intenção “de obstaculizar ou prejudicar as negociações que estão a decorrer com este sindicato [SNMMP] num clima de boa-fé negocial”.

A associação patronal justifica a informação divulgada – que não corrige – com o “dever de comunicar aos seus Associados pontos relevantes da proposta apresentada pelo SNMMP para evitar  um escalar de dúvidas e consequente agitação nas empresas”.

A ANTRAM reafirma o seu empenho “em construir uma solução negocial de consenso com o SNMMP” e, para evitar novos “casos”, diz que “apenas voltará a comunicar sobre a proposta que lhe foi apresentada, de forma presencial, aos seus Associados, nas reuniões que irão decorrer já na próxima semana, bem como ao SNMMP nas reuniões que vierem a ter lugar posteriormente”.

Comments are closed.