O sindicato dos motoristas de matérias perigosas e os patrões reúnem-se segunda-feira para discutirem os serviços mínimos na greve convocada para 7 a 22 de Setembro.

O SNMMP anunciou ontem ter entregado um novo pré-aviso de greve, mas desta vez só aos fins de semana e ao trabalho extraordinário.

O ministro do Trabalho disse a propósito que os serviços do ministério iriam avaliar o novo pré-aviso de greve dos motoristas e verificar a necessidade de serem tomadas medidas, mas sublinhou que o cenário é agora distinto da paralisação anterior.

“As greves têm sempre impacto”, mas “agora estamos a falar de um pedido de natureza diferente”, referiu à “Lusa” o ministro Vieira da Silva, precisando que o pré-aviso seria avaliado com os parceiros (sindicato e entidade empregadora) e seriam tomadas “as decisões que forem necessárias de serem tomadas”.

Entre os considerandos para a convocação da greve “cirúrgica” agora decidida pelo SNMMP está a exigência do pagamento “das horas extraordinárias acima das nove horas e meia de trabalho diário” e que as mesmas “sejam pagas de acordo com o que se encontra tipificado na lei”.

Entretanto, o presidente do sindicato dos motoristas de matérias perigosas afastou a hipótese de a greve ser desconvocada, mas reafirmou a disponibilidade para regressar à mesa de negociações com a ANTRAM, admitindo mesmo cedências de ambas as partes.

Comments are closed.