O SNMMP vai impugnar os serviços mínimos decretados pelo Governo e apresentar queixa no Tribunal Europeu dos Direitos do Homem.

Pedro Pardal Henriques, vice-presidente do SNMMP adiantou à “Lusa” que, além da impugnação do decreto dos serviços mínimos, entregue ainda hoje no Tribunal Administrativo, o sindicato dos motoristas vai também apresentar uma queixa no Tribunal Europeu dos Direitos do Homem, por considerar que “o que o Governo fez é um atentado aos trabalhadores”.

Pedro Pardal Henriques apelou também a todos os motoristas para que recusem realizar trabalho suplementar no próximo fim de semana.

“Tendo em conta que o limite anual são 200 horas e estes trabalhadores já têm mais de 400, não têm que realizar trabalho suplementar”, defendeu.

O representante do sindicato afirmou ainda que as empresas, nomeadamente “a Transportes Paulo Duarte”, que assume a direcção nacional da ANTRAM, “numa tentativa de pressionar” os motoristas, “escalou todos os trabalhadores para trabalho suplementar no sábado e no domingo”.

No sábado realiza-se um plenário do SNMMP, em Aveiras de Cima, no qual “vão ser discutidos assuntos importantes do mundo laboral”.

Relativamente à adesão do Movimento Coletes Amarelos de Portugal à greve dos motoristas, hoje noticiada, o advogado foi peremptório: “Temo-nos demarcado veementemente de qualquer iniciativa que não seja do mundo laboral”, afirmou.

Tags:

Comments are closed.