A MSC poderá em breve ultrapassar a Maersk, sua parceira na aliança 2M, na liderança mundial das companhias de transporte marítimo de contentores, antecipa a Alphaliner.

Com a encomenda confirmada de mais cinco navios de 23 mil TEU, a MSC passa a ter uma carteira de encomendas de 16 navios, com uma capacidade total de mais de 305 mil TEU. A Maersk, por seu turno, tem encomendados 19 navios, num total de cerca de 45 mil TEU.

Actualmente, a Maersk lidera o ranking da Alphaliner, com uma capacidade de transporte de 4,2 milhões de TEU, enquanto a MSC conta 3,7 milhões de TEU.

A consultora lembra, porém, que Soren Skou, o líder da Maersk, já deixou claro que a ideia é reduzir a capacidade para a casa dos 4 milhões de TEU, e que não estão nos seus planos novas encomendas de mega-navios. Pelo menos por enquanto.

Com a entrada ao serviço dos novos navios de 23 mil TEU, e mesmo assumindo a substituição de navios mais pequenos, já prevista, a MSC saltará para a casa dos 4 milhões de TEU, ombro a ombro, ou mesmo à frente da sua parceira de aliança, avisa a Alphaliner.

Concentração agrava-se

Nos próximos anos a concentração do mercado, em termos de oferta de capacidade, deverá acentuar-se significativamente, fruto das encomendas massivas colocadas por alguns dos principais players.

A MSC, já se viu, tem encomendados mais de 305 mil TEU. Mas a HMM já contratou 396 mil. A CMA CGM mais de 487 mil. E a Evergreen 546 mil!

Nesta corrida aos estaleiros, as excepções são mesmo a Hapag-Lloyd e a ONE, sem encomendas conhecidas, a Maersk e a Cosco, com encomendas residuais.

Contas feitas, e mesmo considerando as inevitáveis substituições de navios, devolvidos aos seus donos, vendidos ou enviados para a sucata, o facto é que em breve o ranking dos maiores players do mercado de transporte marítimo de contentores sofrerá mexidas.

 

Comments are closed.