A MSC, número dois mundial no transporte marítimo de contentores, anuncia uma sobretaxa de combustível, uma medida de último recurso para lidar com o aumento do preço do combustível.

Na informação aos clientes, a companhia não detalhou ainda o valor da sobretaxa, apresentada como sendo de emergência e temporária, e que se aplicará a todos os tráfegos, marítimos e terrestres com efeito imediato.

A justificar a decisão, a MSC sublinha que o preço do combustível subiu 30% desde o início do ano e 70% desde Junho do ano passado, tendo atingido os 442 dólares/dólares na semana passada.

A cotação do barril de crude atingiu os 80 dólares (o valor mais alto desde 2014) e poderá não ficar por aí, desde logo pelo impacto da retirada dos EUA do acordo nuclear com o Irão nas exportações de petróleo daquele país.

A situação não é, por isso, mais sustentável sem a adopção desta medida de emergência, reforça a MSC.

Há muito que os analistas vêm avisando para os riscos da subida do preço do combustível para os resultados das companhias de transporte marítimo de contentores.

Ainda na semana passada a Maersk Line apresentou resultados considerados insatisfatórios pelos próprios responsáveis, em boa parte devido ao aumento do preço do combustível. Na projecção para o final do ano, a líder mundial estima que uma variação de 100 dólares/tonelada no bunker tem um impacto de 400 milhões de dólares no EBITDA.

Os comentários estão encerrados.