A MSC, através da TIL, é a única candidata a desenvolver o novo terminal de contentores de Valência, com uma capacidade de cinco milhões de TEU.

Se ganhar a concessão – o que só deverá saber-se mais para o fim do ano – a TIL, controlada a 60% pela MSC e agora também com participação do fundo soberano de Singapura, terá de investir 800-900 milhões de euros.

O novo terminal de contentores de Valência disporá de uma frente de cais com 1 970 metros de comprimento e fundos de -20 metros e um terrapleno de apoio de 137 hectares. Será automatizado e disporá de um terminal ferroviário.

O investimento total previsto na nova infra-estrutura é de 1 200 milhões de euros, sendo 300-400 milhões da responsabilidade da administração portuária.

O porto de Valência lidera o tráfego de contentores no Mediterrâneo. Dispõe de três terminais, controlados pela MSC (para uso privativo e dos seus parceiros), Cosco e APM Terminals. A capacidade é de 7,5 milhões de TEU/ano, mas dois dos três terminais estão saturados e a previsão é o porto atingir uma taxa de utilização de 85% num horizonte de 6-8 anos.

A proposta da MSC só será formalmente aberta a 30 de Maio. A decisão da concessão será conhecida no final do ano. A operação poderá iniciar-se em 2024. A concessão estender-se-á por 35 anos, prorrogáveis até 50.

 

 

This article has 1 comment

  1. luis pereira

    E o porto de Sines por culpa da MINISTRA DO MAR assiste de forma passiva ao investimento ir para os portos maroquinos (tanger I e II), espanhóis (Algeciras, Valência e Barcelona)e gregos (Pireu), 1 vergonha !!!!