A MSC disporá nos próximos meses de 50 mil contentores “dry” equipados com a tecnologia “inteligente” da Traxens, uma start-up francesa participada pela MSC… e pela CMA CGM.

Diego Aponte,  CEO da MSC, justificou o investimento dizendo que a “MSC acredita que o tracking de contentores em tempo real será o futuro da indústria do shipping”.

Mas não só. O líder da MSC também defendeu que a tecnologia e a inovação podem contribuir para a harmonização de procedimentos na indústria, com isso beneficiando as operadoras e os clientes. “Os contentores “inteligentes” são o exemplo perfeito de como podemos cooperar de acordo com os standards da indústria”, sublinhou.

“A utilização de tecnlogias digitais como os contentores “inteligentes” aportará substanciais ganhos de eficiência, serviço, security e safety ao longo de toda a cadeia de abastecimento”, sublinhou, por seu turno, um comunicado da empresa hoje emitido.

“Igualmente ajudará a melhor gerir atrasos e outros problemas ao longo da cadeia de abastecimento, onde, historicamente, a recolha de informação consome tempo e dinheiro”, acrescenta a nota ao mercado.

Além do mais, a solução da Traxens poderá facilitar e agilizar as operações alfandegárias aos carregadores, referiu ainda a companhia.

O sistema desenvolvido pela Traxens assenta num dispositivo colocado em cada contentor e que recolhe 24/24 horas informações do tipo localização, temperatura, impactos e vibrações.

Essas informações são transferidas em tempo real para a “nuvem” da Traxens, que aí as armazena e disponibiliza para os utilizadores autorizados.

Os comentários estão encerrados.