A MSC Portugal confirmou a sua posição de número um no transporte marítimo de contentores nos portos nacionais. Ganhou a privatização da CP Carga. Lançou o primeiro curso de formação de nível superior com a ENIDH. E construiu instalações em Matosinhos. Tudo em 2015.

MSC_Matosinhos

No movimento de contentores, a empresa liderada por Carlos Vasconcelos superou pela primeira vez o milhão  de TEU movimentados em transhipment, em Sines, e cresceu 14% nas cargas de import/export em Leixões e Sines.

Ainda no sector portuário, a representante da MSC em Portugal agenciou 872 escalas nos dois portos onde actua, o que representou um crescimento de 9% face a 2014.

O ano findo, o 24.º da história da MSC Portugal, ficou ainda assinalado pela vitória da MSC Rail (uma subsidiária) na privatização da CP Carga. O contrato só este ano se tornou definitivo mas ficou decidido ainda em 2015. E tratou-se de uma novidade absoluta no universo da MSC a nível mundial.

Estreia absoluta, cá e “lá fora”, foi também o lançamento do primeiro curso de Shipping & Logistics Management, criado em parceria com a Escola Náutica Infante D. Henrique e que visa preparar profissionais para o sector e, desde logo, formar os “homens MSC” do presente e do futuro.

Em linha com o  crescimento da actividade, a MSC Portugal reforçou os quadros com mais 37 trabalhadores. Eram no final do ano 232 (e este ano serão muitos mais com a inclusão da CP Carga). E inaugurou as instalações em Matosinhos, nas imediações do porto de Leixões, construídas em tempo recorde, num investimento de cerca de cinco milhões de euros.

No encontro anual de quadros, em que foi apresentado o balanço do ano findo, Carlos Vasconcelos garantiu que “2016 será um ano de novos desafios para a MSC Portugal, que motivarão a magnífica equipa a chegar mais longe e com o mesmo nível de profissionalismo e comprometimento com os clientes”.

 

 

Comments are closed.