A MSC refuta as conclusões do estudo da Transport & Environment (T&E) que a classifica como a sétima maior poluidora europeia.

O MSC Gulsun emite 7,49 g de CO2 por ton/milha transportada

Segundo a T&E, no ano passado a MSC emitiu 10,7 milhões de toneladas de CO2 e com isso ascendeu ao sétimo lugar entre os maiores poluidores na Europa, só superada por centrais a carvão. A MSC contesta e sublinha, desde logo, que apenas 40-45% das suas emissões acontecem, efectivamente, na Europa.

A exemplo do que fez no final do ano passado, a propósito do ranking então divulgado pela T&E, a companhia helvética insiste em criticar a metodologia seguida no estudo. Desde logo, por comparar companhias que só poluem na Europa (casos das centrais a carvão) com outras que têm uma presença global.

Em comunicado, a MSC sublinha ainda que uma “análise correcta” deveria também demonstrar que, no espaço de um ano, a companhia reduziu em 2,5% as emissões de CO2, tal como comunicado ao sistema europeu de Reporte, Monitorização e Verificação (MRV, na sigla em inglês).

De resto, a MSC reafirma o seu compromisso com os objectivos de descarbonização e reclama o pioneirismo na utilização em grande escala de biofuel a 30% e na promoção do Programa de Carbono Neutro. Além de lembrar que foi a primeira a operar um navio de 23 000 TEU, que emite 7,49 gramas de CO2 por tonelada/milha náutica percorrida.

Tags:

Comments are closed.