O novo terminal de contentores que o Governo prevê implantar em Leixões deverá aproveitar o terminal Multiusos, originalmente concebido para o tráfego ro-ro e para as Auto-Estradas do Mar.

O terminal Multiusos, construído junto ao Molhe Sul do porto nortenho, é o único espaço actualmente disponível e com condições para permitir, depois de adaptado, a movimentação de contentores.

“Encaixado” entre o novo terminal de cruzeiros e as instalações da Docapesca, dispõe de uma frente de cais de 155 metros e de fundos de -8,5 metros (além de uma rampa ro-ro fixa de 26 metros). A área de terrapleno disponível é de cinco hectares. Condições suficientes para servir os tráfegos ro-ro e as AEM, mas escassas para receber navios porta-contentores de alguma dimensão. E o objectivo será usar a nova infra-estrutura para reforçar as ligações ao Atlântico Sul.

Tal como está, o “Multiusos” representou um investimento de cerca de 20 milhões de euros. Inaugurado em Setembro do ano passado, tem vindo a ser utilizado, desde Março deste ano, pelo TCL e pelo TCGL, para armazenamento de contentores ou mesmo para a operação de alguns navios.

O projecto do novo terminal de contentores, que já estará a ser trabalhado há vários meses pela APDL, prevê a criação de fundos de -14 metros (já existentes na bacia de rotação e no canal de acesso ao interior do porto), o que será conseguido com mais dragagens. Fica por resolver a questão de frente de cais. A título de comparação, o Terminal de Contentores Norte dispõe de 360 metros e o Terminal de Contentores Sul chega aos 543 metros.

Instada a pronunciar-se sobre o empreendimento, a APDL escusou-se a tecer quaisquer comentários.

Já a TCL, concessionária do actual terminal de contentores de Leixões, “concorda com a expansão”, pelos benefícios que pode trazer “para o porto e para o tecido empresarial da região”, afirmou Lopo Feijó ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS.

Aquele responsável sublinhou, todavia, a “necessidade de garantir massa crítica” ao novo terminal. “É preciso ter noção que este é um negócio de escala, de dimensão”, disse.

A TCL continua a negociar com a APDL a expansão do terminal de contentores Sul, um processo que Lopo Feijó acredita não será afectado pela concretização do novo terminal.

O investimento no novo terminal de contentores de Leixões deverá ascender a 160 milhões de euros, a serem financiados pelo BEI e pela União Europeia no âmbito da Rede Transeuropeia de Transportes.

Comments are closed.