A Naviera Armas anuncia para Junho o reforço da ligação ro-pax entre Portimão e o Funchal, com o início da operação do “Volcán de Tinamare”, acabado de sair dos estaleiros de Vigo.

Actualmente, as ligações entre o Continente e a Madeira, com extensão às Canárias, são asseguradas pelo “Volcán de Tijarafe”, um navio capaz de transportar cerca de mil passageiros, 300 veículos e 1 500 metros lineares de carga rodada à velocidade de 24,5 nós.

O “Volcán de Tinamare” transportará mais passageiros (cerca de 1 500), melhor instalados (170 camarotes, contra apenas 56 actualmente, e outras facilidades próprias dos navios de cruzeiros), mais veículos (350) e mais carga rodada (cerca de dois mil metros lineares). E navegará mais depressa: 26 nós.

A melhoria da oferta deverá atrair mais clientes à ligação entre Portimão e o Funchal. Para mais agora, que os insulares beneficiarão também de um subsídio público para suportar os custos da deslocação (a exemplo do que acontece com as viagens aéreas).

A operação da Naviera Armas no Funchal não tem sido isenta de incidentes, quer porque entrou num mercado até então reservado aos armadores nacionais, quer porque realiza a movimentação de cargas no porto da cidade, quando todos os demais transportadores foram desviados para o Caniçal.

O “Volcán de Tinamare”, construído nos estaleiros de Vigo da Hijos de J. Barreras, foi agora entregue ao armador das Canárias.

Um navio-gémeo, o “Volcán de Teide”, iniciará em Março um novo serviço regular entre Huelva e as Canárias, num percurso que durará 28 horas.

A Naviera Armas anunciou entretanto a encomenda de mais dois navios ro-pax, ambos com 205 metros de comprimento (cerca de 25 mais que os dois referidos), num investimento de 350 milhões de euros. As embarcações serão construídas nos estaleiros galegos, que para o efeito irão ampliar as instalações.

Comments are closed.