O estaleiro chinês Hudong-Zhongua revelou na Marintec China, a maior feira do sector marítimo da Ásia, o design de um porta-contentores a GNL com capacidade de 25 mil TEU.

A sociedade de classificação DNV GL concedeu, no certame, uma aprovação de princípio à Hudong-Zhongua Shipbuilding para o design de um porta-contentores de 25 000 TEU movido a GNL. O novo design tem aproximadamente mais mil TEU do que os actuais maiores navios em construção.

“O [estaleiro] Hudong-Zhonghua tem sido um operador líder no avanço do design de navios, especialmente para grandes embarcações. Além disso, o uso de GNL é um sinal do momento do combustível, já que o transporte está a fazer a transição para um futuro com menos emissões e carbono”, referiu, na Marintec, Norbert Kray, responsável pela DNV GL na China.

Há, porém, quem tenha dúvidas sobre as vantagens dos 25 mil TEU. É o caso de Andy Lane, da CTI Consultancy, citado nos media internacionais.

“Um navio de 25 mil TEU não vai gerar uma economia significativa de custo por unidade face a um de 20 a 22 mil TEU”, argumenta Lane. “Assumindo que consegue ocupar 25 mil TEU, este passará muito mais tempo no porto, o que obrigará a aumentar a velocidade comercial, pelo que grande parte da economia estará perdida. Se deseja reduzir seriamente os custos com slots, é necessário crescer mais 30% e atingir algo na faixa de 30 a 32 mil TEU, o que eu acho que nunca acontecerá”, remata o consultor.

 

 

Comments are closed.