Incapaz de receber os maiores navios da Maersk, a Portico, que opera o terminal de águas profundas de Portsmouth, perdeu o cliente e, agora, vai reduzir a mão-de-obra.

“Esgotámos todas as opções para encontrar uma maneira de acomodar os navios maiores da Maersk, mas a mudança na frota está além da capacidade actual da Portico”, referiu Steve Williams, director de operações da operadora do terminal. “Infelizmente, isso significa que o serviço da Maersk se afasta de Portsmouth”.

A causa para a decisão do grupo dinamarquês deixar de escalar o terminal da Portico é o facto dos seus navios mais recentes serem demasiado grandes para as instalações actuais. A companhia britânica, antes designada de MMD Shipping, está, por isso, a ser forçada a uma reestruturação, embora ainda não avance um número concreto de empregos em risco.

Steve Williams salientou que a companhia procurou “um resultado diferente, mas, infelizmente, em face disso, precisa de reestruturar” a força de trabalho.

“Estamos agora num período de consulta com a equipa”, referiu, sublinhando que a actual dimensão média da frota da Maersk leva a que poucos portos do Reino Unido possam receber os seus navios.

A Portico irá, agora, concentrar-se na diversificação de parcerias. Em Dezembro, a Geest Line recomeçou a usar o terminal, depois de ter saído devido a dificuldades de capacidade.

 

This article has 1 comment

  1. O London Gatway da DPW esfrega as mãos porque sendo novíssimo em folha ele já pode acolher todos os maiores porta-contentores !