A fábrica da Nissan em Ávila (Espanha) produziu o último camião NT 400 Cabstar. A partir de  Setembro, passará a fabricar componentes para toda a aliança Renault-Nissan.

A fábrica da Nissan em Ávila abandonou, em Dezembro de 2018, a produção do NT500 (por não cumprir a norma Euro 6), tendo mantido a produção do NT400 até agora. Durante este período, foram formados os primeiros trabalhadores na fábrica de Valladolid para executar as novas funções. A decisão mantém os cerca de 450 postos de trabalho da fábrica.

A mudança de operação na fábrica de Ávila vai implicar um investimento de 40 milhões de euros até 2020. Está prevista a construção de uma linha de estampagem a quente e de até 35 000 metros quadrados de armazéns. A unidade terá uma capacidade instalada mensal de 80 000 peças (sobretudo peças e capôs), com uma proporção de 70% para a Renault e 30% para a Nissan. Numa fase inicial, apenas serão fornecidas fábricas Renault e Dacia do Sul da Europa.

A fábrica de Ávila da Nissan será integrada no Pólo Industrial das fábricas Renault em Castela e Leão, que abarca, no presente, as unidades de Palência (onde é produzido o Kadjar e o Mégane) e de Valladolid (produção de motores e do Captur).

Tags:

Comments are closed.