A Norwegian vai abolir todos os voos transatlânticos entre a Irlanda e a América do Norte, a partir de 15 de Setembro.

A Norwegian explica a decisão pelo facto de não poder operar com os Boeing 737 MAX (de que tem 18 unidades) desde Março, após os acidentes fatais com essas aeronaves na Indonésia e na Etiópia.

“Desde Março, procuramos de forma incansável minimizar o impacto nos nossos clientes, alugando aviões de substituição para operar as rotas entre a Irlanda e a América do Norte. Mas, como a data de regresso ao serviço do B737 MAX permanece incerta, essa solução é insustentável”, indica um comunicado de imprensa.

A Norwegian, que há um ano tinha suspendido voos transatlânticos de Belfast (Irlanda do Norte) e Edimburgo (Escócia) devido à falta de rentabilidade dessas rotas, opera seis ligações entre os aeroportos irlandeses de Dublin, Cook e Shannon, os Estados Unidos e o Canadá.

A companhia aérea escandinava, terceira maior low-cost da Europa em termos do número de passageiros transportados, assegura que ajudará os clientes, transferindo-os para outros voos da companhia ou reembolsando-os do valor pago pelos bilhetes.

A Norwegian, detida a 3,93% pela IAG, fechou o primeiro semestre do ano com prejuízos de 1 407 milhões de coroas norueguesas (146 milhões de euros). Aquele valor é pouco melhor que os 1 454 milhões (151 milhões de euros) de prejuízo registados um ano antes.

 

 

 

Comments are closed.