A China continua a apostar na criação de serviços ferroviários de transporte de mercadorias com a Europa Ocidental. Agora foi a vez do comboio chegar a Lyon (França).

Comboio China-Lyon

Na prática, a nova ligação não é mais do que uma extensão que já ligava a Duisburgo, na Alemanha. O comboio partiu de Wuhan no passado dia 6 e demorou 15 dias apenas a percorrer 11 300 quilómetros, através do Cazaquistão, Rússia, Bielorrússia, Polónia e Alemanha.

A composição transportou 41 contentores carregados com equipamentos mecânicos, produtos electrónicos e têxteis. No regresso levará componentes para a indústria automóvel, vinho e produtos agrícolas.

O objectivo é realizar uma ligação semanal. O comboio é mais caro que o navio mas muito mais rápido (16 dias de transit time contra 50 por mar); é mais lento que o avião mas mais barato.

Actualmente já há ligações ferroviárias de mercadorias mais ou menos regulares entre as cidades chinesas de Chongqing, Chengdu, Changsha, Hefei, Suzhou, ou Yiwo e a Europa até Madrid.

As operações podem ainda não ser rentáveis mas contam com o apoio empenhado das autoridades chinesas, que vêm esta oferta integrada no projecto mais amplo da nova “Rota da Seda” gizado por Pequim.

 

Os comentários estão encerrados.