A aicep Global Parques prevê lançar em 2020 uma nova Zona de Actividades Logísticas (ZAL) junto ao futuro terminal de contentores Vasco da Gama, no porto de Sines.

“Queremos avançar em 2020 com o início da primeira fase do loteamento da ZAL “extraportuária”, contígua ao futuro terminal Vasco da Gama, para acompanhar a dinâmica que será criada por estes investimentos, que estimam um aumento da capacidade de movimentação de contentores dos actuais 2,1 milhões para 7,6
milhões de TEU”, adiantou à “Lusa” o CEO da aicep Global Parques.

Trata-se de uma zona “com uma dimensão significativa”, 106,5 hectares, e uma localização privilegiada para projectos na área “da logística de 2.ª linha” e “de consolidação”, que, “a longo prazo”, poderá beneficiar de “uma eventual substituição progressiva da utilização do Terminal Multipurpose” do porto de Sines.

“Podemos ter uma dinâmica de sectores exportadores nacionais, como os mármores, as rochas calcárias e o sector alimentar, cargas que poderiam, eventualmente, no futuro, substituir o carvão no Terminal Multipurpose”, sublinhou Filipe Costa.

Sete milhões para expandir a ZIL

Já este ano, a aicep Global Parques prevê investir sete milhões de euros no loteamento de mais 60 hectares na ZIL de Sines.

“Vamos ter um grande ciclo de desenvolvimento na ZIL de Sines, que tem uma ocupação de 89%, e para acomodar alguns desses investimentos de que estamos à espera no setor petroquímico vamos ter de fazer novos loteamentos”, disse à “Lusa” o presidente executivo da empresa, Filipe Costa.

“Há pelo menos 10 anos que não se faziam novos loteamentos e isto é sintomático de alguma retoma económica, industrial e do cluster petroquímico”, revelou o CEO da aicep Global Parques, que gere a Zona Industrial
Logística de Sines onde estão localizadas as maiores empresas do país, como a Petrogal e a Repsol Polímeros.

Prevê-se um investimento superior a dois milhões de euros na “zona 1”, a Norte do parque, no loteamento de uma área de 15,7 hectares para acomodar “investimentos de dezenas de milhões de euros em unidades associadas ao biodiesel, construção e alguma logística”, adiantou.

Na “zona 2” da ZIL, serão investidos mais de cinco milhões de euros no loteamento de uma área de 44,3 hectares “para fazer face aos projectos de petroquímica que estão em carteira” e “à expansão dos actuais clientes” ligados a
este sector.

“São projectos, dos principais clientes de oil and gas e petroquímicos do parque e do porto de Sines, na ordem dos milhares de milhões de euros, que já estiveram em carteira antes da última crise financeira e que agora são retomados e vão beneficiar o parque e o país nos próximos três anos”, disse Filipe Costa.

» LER MAIS

 

Comments are closed.