A primeira fase do novo terminal de carvão do porto da Beira, Moçambique, deverá entrar em funcionamento em 2020, afirmou na Cidade do Cabo o presidente executivo da Mozambique Essar Ports.

O novo terminal arrancará com uma capacidade de 10 milhões de toneladas/ano e representará um investimento de 260 milhões de dólares.

Tej Nargundkar, que participou na Conferência Sul-Africana de Exportadores de Carvão, sublinhou que o facto de o
porto da Beira não permitir a atracação de navios de mais de 50 mil toneladas de arqueação bruta ou com um calado superior a 12 metros não constitui um entrave ao negócio, uma vez que a maior parte dos portos indianos também não é de águas profundas.

O objectivo central do grupo Essar, através da Essar Ports, é utilizar o porto da Beira para a exportação de carvão mineral extraído em Moatize, província de Tete, respondendo dessa forma ao aumento da procura que se
verifica na Índia.

O terminal a construir será totalmente mecanizado desde a descarga dos vagões até ao armazenamento e carga dos navios, tendo o cais 300 metros de comprimento e 24 de largura e dispondo de uma capacidade de 700 mil toneladas na primeira fase.

O porto da Beira fica localizado a 580 quilómetros da bacia carbonífera de Moatize, sendo o transporte do carvão feito pela Linha do Sena.

 

Comments are closed.