Depois da inauguração “beta” a 18 de Setembro, a nova gare de passageiros do porto de Lisboa reabre portas na próxima sexta-feira para acolher mais dois navios.

Lisboa - Cruzeiros

De novo, e tal como aconteceu com o Monarch, o primeiro navio a escalar o terminal, as duas operações previstas para depois de amanhã serão de “full turnaround”, isto é, de fim de uma viagem e início de outra, com o que isso implica em termos de embarques e desembarques, operações logísticas e contr0los aduaneiros.

Para mais, no caso, a “dose” será dupla, com a operação em simultâneo do Seven Seas Navigator (490 passageiros) e do MS Marina (1 250 passageiros), ainda que se trate de navios mais pequenos que o Monarch.

O novo terminal de cruzeiros de Lisboa abriu as portas, sem pompa nem circunstância, a 18 de Setembro para receber o primeiro navio, mas fechou-as de seguida. Às críticas, a administração portuária respondeu lembrando que Lisboa mantém operacionais outras instalações dedicadas ao tráfego de cruzeiros e que o novo terminal será especialmente vocacionado para as operações de “turnaround”, e garantindo não haver atrasos nas obras ainda em execução.

O projecto do novo teriminal de cruzeiros de Lisboa incluiu a recuperação/construção de um cais de 1 490 metros, a cargo da administração portuária, e posteriormente a construção da nova gare de passageiros, num investimento de 23 milhões de euros suportado pela concessionária LCT – Lisbon Cruise Terminals (que junta a Global Liman Isletmeleri A.S., Grupo Sousa, Investimentos, SGPS, Ld.ª, Royal Caribbean Cruises Ltd., e Creuers del Port de Barcelona, SA).

No comunicado agora emitido sobre as duas próximas escalas, a APL destaca a recente eleição de Lisboa como Melhor Porto de Cruzeiros da Europa, na 24.º edição dos World Travel Awards, e tendo como concorrentes Copenhaga, Barcelona, Amesterdão, Antalya, Istambul, Kusadasi, Marselha, Southampton, Split e Veneza.

Os comentários estão encerrados.