O governo holandês concessionou às companhias NS e ProRail a exploração e a gestão das infra-estruturas ferroviárias do país, no período de 2015 a 2025.

Em ambos os casos, o governo de Haia tem como objectivo melhorar os resultados de exploração das linhas ferroviárias. Os contratos incluem mais disposições que permitam ao Ministério das Infra-estruturas e ao Parlamento intervirem na actividade, tanto da NS como da ProRail, se tal for considerado justificado.

As concessionárias estarão sujeitas a penalizações se não cumprirem os critérios pré-estabelecidos em termos de resultados, mas, por outro lado, serão bonificados se atingirem ou superarem os objectivos. A penalização máxima pode atingir os 6,75 milhões de euros anuais no caso da NS e os 2,75 milhões de euros no caso da ProRail.

Os contratos preveem que estes valores sejam reinvestido na rede.

A concessão adjudicada à NS junta a anterior concessão da rede central à exploração dos serviços de Alta Velocidade na linha HSL Sul. Com esta integração, os serviços intercidades nacionais serão prestados em linha de Alta Velocidade, utilizando material circulante convencional.

Os comentários estão encerrados.