A Oiltanking passou a dispor de um novo terminal de armazenamento na Matola, Moçambique, e expandiu os investimentos nos portos da Matola e da Beira através do aumento de 60% para 80% da participação directa na Oiltanking Mozambique, informou a empresa alemã, subsidiária do grupo Marquard & Bahls AG.

Oiltanking

 

A empresa informou ainda que o terminal da Matola recebeu o primeiro navio a 26 de Novembro, sendo que a presente capacidade de armazenamento de 58 600 metros cúbicos pode vir a ser alargada, atendendo a que existe terreno para garantir a sua expansão.

O terminal tem um molhe com capacidade para receber navios com um calado máximo de 11,5 metros e dispõe ainda de instalações para carregamento de comboios e de camiões, a fim de servir a região sul de Moçambique, os países vizinhos Suazilândia, Zimbabué e Botsuana e as províncias do Norte da África do Sul.

“Moçambique é uma das principais plataformas de trânsito de produtos petrolíferos da costa oriental de África”, disse Lo Vanhaelen, director-geral da Oiltanking Matola.

No terreno disponível para expansão futura na Matola, a Oiltanking pretende construir um terminal para armazenar gás de petróleo liquefeito até 33 mil metros cúbicos, onde adicionará mais 70 mil metros cúbicos de armazenamento líquido.

A empresa está também a estudar a construção de mais um terminal no porto da Beira, a fim de facilitar a importação de produtos petrolíferos para abastecer tanto a região central de Moçambique, bem como o Zimbabué, Malaui, Zâmbia e República Democrática do Congo.

A Oiltanking possui e opera 80 terminais em 24 países, com uma capacidade de armazenamento combinada de 21 milhões de metros cúbicos

Os comentários estão encerrados.