A Generix Group foi seleccionada pela Olicargo para implementar a solução GCS WMS On Demand no seu novo centro logístico com cerca de 18 000 m2, em Santa Iria da Azóia.

A solução GCS WMS On Demand irá assegurar a gestão optimizada de todos os processos logísticos da empresa.

Como parceiro logístico de empresas de elevado prestígio e dada a exigência das suas operações, a Olicargo procurava uma solução que respondesse aos requisitos dos clientes em carteira para a área de negócios da Logística Contratual e dos sectores de actividade onde pretende estar futuramente, em particular na gestão dos serviços de valor acrescentado.

“A solução da Generix Group impressionou‐nos. É a que melhor se adequa aos requisitos técnicos que procurávamos. Não sóé versátil, como incorpora em standard soluções para os diferentes desafios dificuldades operacionais, uma característica que as soluções concorrentes não possuem”, explica Américo Ribeiro, Director de Logística da Olicargo.

Além disso, acrescenta, “é um sistema estável, implementado com sucesso em várias organizações a nível internacional e classificado por diversas entidades como um dos melhores WMS a nível mundial.”

“Por outro lado, procurávamos um sistema de  utilização e parametrização simples, onde estivessem cobertos todos os processos internos de gestão de um armazém e interfaces com os nossos clientes. Sobre todos estes pontos, o sistema da Generix Group era a solução indicada”, conclui Américo Ribeiro.

A Olicargo, empresa especializada na prestação de serviços logísticos, transporte aéreo e terrestre de mercadorias, armazenamento, entre outras actividades, selecionou a solução GCS WMS On Demand da Generix Group com o objetivo de “sermos reconhecidos como o operador logístico com a melhor solução em termos de WMS do mercado, de forma a sermos competitivos em termos de preço, produtividade e qualidade do nosso serviço”, afirma o responsável.

A escolha desta solução em regime outsourcing “prende-se com questões técnicas, por reduzir a necessidade de investimento em  servidores locais e respectiva gestão e segurança da informação, e por questões económicas, uma vez que o esquema de custo está associado às quantidades movimentadas nos nossos  armazéns”,  justifica  Américo  Ribeiro.

 

 

 

 

Os comentários estão encerrados.