A recém-criada ONE prevê registar perdas de 600 milhões de dólares (518 milhões de euros) no seu primeiro ano fiscal completo (iniciado em Abril para terminar em Março de 2019).

ONE reviu em alta a previsão de prejuízos

A nova estimativa da ONE representa um “trambolhão” enorme face à anterior previsão de 110 milhões de dólares (95 milhões de euros) de prejuízos.

Já no primeiro semestre do ano fiscal (Abril a Setembro), a ONE prevê ter registado prejuízos de 310 milhões de dólares (268 milhões de euros) , muito acima dos 38 milhões (33 milhões de euros) previstos antes.

A companhia nipónica justifica este cenário com a queda nos volumes e nas taxas de utilização, causada pelo que os seus responsáveis dizem ser problemas típicos das empresas em arranque de actividade, que surgiram imediatamente após o início da operação da ONE, em Abril último.

A ONE indica que esses problemas iniciais se relacionaram com os sistemas de reservas e as operações de documentação. Estas sofreram atrasos, segundo a companhia, porque “os recursos humanos da ONE não estavam completamente familiarizados com o sistema de TI recém-introduzido e havia falta de pessoal. Isso causou um inconveniente significativo para os clientes”.

A companhia clarificou, contudo, que o novo outlook já antecipa alguns dos efeitos do impacto da guerra comercial EUA-China.

» Arranque da ONE castigou K Line, NYK e MOL

 

Os comentários estão encerrados.