As japonesas K Line, MOL e NYK prevêem mais lucros e poupanças anuais superiores a mil milhões de dólares (831 milhões de euros) com o lançamento da ONE, no passado 1 de Abril.

No plano de negócios da ONE, o total de poupanças calculado pelas companhias atingirá os 1,05 mil milhões de dólares (872,7 milhões de euros) no terceiro ano. Mas será já de 60% daquele valor nos primeiros 12 meses e de 80% no segundo ano.

De acordo com a ONE, 430 milhões de dólares (357,4 milhões de euros) virão de economias em custos operacionais, com feeders, camiões e terminais, beneficiando não só da tarifa mais baixa das três companhias, mas também da negociação de taxas reduzidas para volumes maiores.

Espera-se que mais 370 milhões (307,5 milhões de euros) sejam economizados em custos de TI e “racionalização da organização”, com os restantes 250 milhões (207,8 milhões de euros) a resultarem de uma redução no consumo de combustível e “racionalização de produto”.

Mais receitas e lucros

Em termos de receitas totais, a ONE prevê 13,2 mil milhões de dólares (10,97 mil milhões de euros) no primeiro ano, 13,9 mil milhões (11,5 mil milhões de euros) em 2019 e 14,2 mil milhões (11,8 mil milhões de euros) em 2020.

A joint-venture prevê que 47% das receitas serão oriundas das rotas trans-Pacífico, 24% do Ásia-Europa e 13% dos serviços intra-asiáticos.

A companhia antecipa um lucro líquido para este ano de 110 milhões de dólares (91,4 milhões de euros), a maioria, 107 milhões (88,9 milhões de euros), no segundo semestre. Para 2019, espera-se um lucro de 313 milhões (261,1 milhões de euros) e mais do dobro no ano seguinte, quando atingir 648 milhões (538,6 milhões de euros).

A meta da ONE em termos de volumes é transportar 345 mil TEU semanais: 39% no transpacífico, 24% no Ásia-Europa e 22% na Ásia.

A companhia tem sete novos navios de 14 mil TEU com entrega prevista para este ano. A joint-venture nipónica prevê fechar o ano fiscal de 2018 com 224 navios, totalizando 1,55 milhões de TEU.

 

 

Comments are closed.