Os operadores portuários de Lisboa e o sindicato dos estivadores acordaram a contratação efectiva de mais 23 trabalhadores portuários, anunciou em comunicado a estrutura sindical.

Porto de Lisboa

O acordo foi conseguido no âmbito das negociações em curso sobre o novo Contrato Colectivo de Trabalho (CCT) do do porto da capital, mediadas pela administração portuária e “apadrinhadas” pela ministra do Mar, Ana Paula Vitorino.

Os 23 estivadores que agora passarão a efectivos encontravam-se há oito anos numa situação de “precariedade laboral”, sublinhado o sindicato liderado por António Mariano.

Recorde-se que no auge da greve e das trocas de acusações, o sindicato denunciou a existência de 50 trabalhadores precários no porto da capital há oito anos, a alegada tentativa de lhes impor novos contratos precários e bem assim a recusa dos operadores em utilizarem aquela mão-de-obra disponível (com isso agravando as dificuldades operacionais).

No comunicado hoje emitido o sindicato dos estivadores reconhece “avanços significativos durante os últimos dias” mas sublinha que “as demais questões pelas quais se têm batido os estivadores continuarão em cima da mesa das negociações, em reuniões que estão previstas estender-se até ao final de Fevereiro”.

Ao cabo de mais um mês de greve dos estivadores, a ministra do Mar chamou a si a conciliação das partes e arrancou um acordo para o retomar das negociações e o regresso da “paz social”.

 

Comments are closed.