DHL, Dachser, Gefco, XPO Logistics, os Correios franceses (em representação de Chronopost e da DPD France), DB Schenker e Geodis são alguns dos operadores expresso que recorreram das multas que lhes foram aplicadas em Dezembro pela Autoridade da Concorrência Francesa (ACF), por alegada cartelização.

Geodis

A Goedis foi a empresa que recebeu a coima mais pesada, de 196 milhões de euros. No total, a ACF aplicou 672 milhões de euros de multas a 20 operadores expresso e ao organismo Transport et Logistique de France. Segundo a ACF, as práticas de combinação de preços em França decorreram entre 2004 e 2010.

O prazo para recorrer da decisão terminou na passada segunda-feira. A Kuehne + Nagel não comunicou se apelou da multa. Porém, já em Dezembro, a empresa clarificou que a multa aplicada à sua subsidiária Alloin Group se refere a alegadas práticas ocorridas antes da compra da empresa. A FedEx comunicou que não recorreu da coima justamente por o caso ser relativo a práticas prévias a Março de 2010, altura em que a empresa adquiriu a Tatex (hoje FedEx Express France).

Já a Royal Mail, ao concordar em não recorrer, viu a multa aplicada à subsidiária GLS France reduzida para 55 milhões de euros.

» Concorrência francesa multa operadores expresso

 

 

 

Comments are closed.