Acabada de cumprir 50 anos de actividade, a Patinter assinalou a efeméride com uma edição limitada de quatro camiões inspirada nos anos 70 e 80 do século passado.

O trabalho foi desenvolvido em parceria com a MAN e a DAF. Dois dos modelos – os dos anos 70 – recuperam  “as influências de imagem da antiga Paris Aquitaine”, destacando-se o verde das lonas e já o amarelo dos tractores.

Na década de 80, a Patinter mudou de mãos, adquirida que foi pela actual administração (à altura proprietária também da Azurtrans, do Porto) e os veículos da companhia de Mangualde passaram a ter o azul como cor dominante nas lonas e o amarelo-torrado nos tractores. São assim os dois outros modelos agora lançados.

A estes quatro junta-se um quinto veículo, este da responsabilidade da Renault Trucks, que o dotou com tecnologia de ponta e outros “requintes”, como sejam o ACC (Adaptative Cruise Control), o bloqueio diferencial, os sinais laterais, os faróis traseiros led e as jantes em alumínio.

Justificando a iniciativa, Pedro Polónio, director-geral da Patinter, citado em comunicado, diz que “uma empresa tem de saber valorizar a sua história, mas tem, também, de ter a capacidade de semear no presente para colher os frutos no futuro”. E, por isso, reforça, “a aposta em políticas de sustentabilidade e de inovação, em que estes veículos comemorativos se enquadram devido às suas características, são a prova da nossa visão e postura para encarar o dia de amanhã”.

 

A Patinter reclama ser a maior transportadora portuguesa e um dos maiores grupos de transporte da Europa, com operações em mais de 20 países e cerca de 1 300 colaboradores.

 

This article has 1 comment

  1. Muitos Parabéns, Pedro. Venham mais outros 50 anos para sustentar a nossa parceria.

    Américo Costa
    Diretor
    TAP Cargo