O Parlamento Europeu aprovou ontem a proposta da Comissão Europeia de alteração à Directiva sobre Pesos e Medidas (Directiva 2013/0195) dos camiões.

Bruxelas acredita que as alterações permitirão reduzir o consumo de combustível de 7% a 10% (com poupanças médias anuais de 5 000 euros por veículo), baixando as emissões de gases de estufa, e melhorar a segurança rodoviária.

Em relação à segurança, as autoridades europeias consideram que a actual forma de “tijolo” das cabinas dos camiões prejudica a visibilidade e provoca acidentes, nomeadamente com peões e ciclistas. A Directiva prevê, por isso, um design semelhante ao das locomotivas de comboios de Alta Velocidade.

A Comissão pretende ainda que os camiões tenham sistemas de pesagem ligados ao tacógrafo, com o argumento de que o excesso de peso nos transportes rodoviário de mercadorias custa todos os anos 950 milhões de euros aos contribuintes europeus.

Bruxelas tem como meta também promover a intermodalidade com uma redução da burocracia para que os contentores de 45 pés possam ser mudados, de forma rápida, entre navios, camiões e comboios.

As alterações começarão a ser possíveis a partir de 2018, sendo de esperar que os camiões com as novas cabines estejam no mercado a partir de 2020.

“O apoio final do Parlamento é um sucesso significativo que nos deixa um passo mais perto do objectivo de termos melhores camiões nas nossas estradas. Isso levará a menos emissões e mortes nas estradas e a menos custos para os transportadores. Vai permitir ainda à indústria produzir novos camiões e manter-se competitiva no mercado global. O voto de hoje [dia 10] abre caminho para que os Estados-membros cheguem a um acordo final, para que a sociedade possa começar a recolher os frutos das novas regras”, referiu, citada pela assessoria de imprensa, a comissária europeia dos Transportes, Violeta Bulc.

Comments are closed.