A partir de 2014, os veículos comerciais ligeiros não poderão emitir mais de 175 g de CO2/km, de acordo com a legislação ontem aprovada pelo Parlamento Europeu.

O regulamento comunitário prevê ainda que o limite máximo de emissões seja progressivamente reduzido para as 147 g de CO2/km até 2020. Ambos os valores referem-se à média da frota de VCL proposta por cada construtor automóvel,

Até 2017 prevê-se um sistema de transição faseado. Mediante o qual cada VCL com emissões inferiores a 50 g de CO2/km contará como mais de um veículo para efeitos do cálculo da média da frota do construtor.

Por outro lado, a partir de 2019 os construtores automóveis que ultrapassem os limites de emissões autorizados para os VCL pagarão coimas da ordem dos 95 euros por grama de emissões excedentária, fixou o Parlamento Europeu

.Os VCL correspondem a cerca de 12% do parque automóvel da União Europeia. Com a imposição de limites às emissões de CO2, a União Europeia pretende não apenas melhorar a qualidade do ar mas também promover a eficiência energética.

A ACEA já reagiu à aprovação da nova legislação comunitária, comprometendo-se a tudo fazer para atingir as metas nela traçadas, mas avisando também que para tal será necessário introduzir tecnologias que estão longe de ser rendíveis no mercado dos VCL.

 

 

Os comentários estão encerrados.