A produção nacional de veículos comerciais continuou em alta em Maio, sustentada pelo fabrico de pesados de mercadorias, com a Mitsubishi em destaque.

Em Maio, de acordo com a ACAP, construíram-se em Portugal 4 172 veículos comerciais, mais 2,5% que há um ano. Desses, 3 721 foram ligeiros (uma quebra de 2,3%) e 451 pesados (mais 72,1%).

A Peugeot liderou a produção de comerciais ligeiros, com 1 731 veículos, e foi a única a crescer (19,4%) relativamente ao mês homólogo de 2011. A Citroën fabricou 1 707 veículos (menos 11,8%), a Toyota 126 (menos 35,4%) e a Mitsubishi 121 (menos 37,6). A Isuzu repetiu as 36 unidades de há um ano.

Nos camiões, a Mitsubishi aumentou em 123,5% a produção mensal, tendo chegado aos 341 veículos. A Isuzu construiu 99 (mais 17,9%) e a Toyota apenas dez (menos 60%).

No balanço dos primeiros cinco meses do ano, a produção lusa de veículos comerciais já chega às 25 543 unidades e sobe 16,6%. Nos ligeiros, o ganho homólogo é de 15,3%, com 23 134 unidades, e nos pesados chega aos 30,6%, com 2 409 camiões.

A produção de comerciais ligeiros é ainda liderada pela Citroën, com 12 203 unidades (um ganho de 21,3%), seguida da Peugeot, com 9 061 (mais 16,5), da Mitsubishi com 922 (menos 22,8%), da Toyoya com 816 (menos 5,2%) e da Isuzu com 132 (menos 21,4%).

Nos pesados, lidera destacadíssima a Mitsubishi, com 1 658 camiões (mais 17,5%), mas a Isuzu mais que duplica os números de há um ano, com 721 unidades produzidas (mais 103,7%), ao passo que a Toyota quebra 62,5% para 30 veículos.

Sem surpresa, os mercados de exportação são o principal destino da produção nacional de comerciais, absorvendo 21 733 ligeiros e 2 337 pesados.

Comments are closed.