Uma onda de ataques contra navios na costa Ocidental de África está a elevar os níveis globais de pirataria e assaltos à mão armada no mar, alertou Bureau Marítimo Internacional (BMI).

O Golfo da Guiné foi, segundo o organismo, responsável por mais de 40% do total de ataques globais no primeiro trimestre do ano.

De Janeiro a Março, o número de incidentes em todo o mundo aumentou para 66, contra 43 e 37, respectivamente nos períodos homólogos de 2017 e 2016.

Ao todo, 100 tripulantes foram feitos reféns e 14 foram sequestrados dos seus navios. Um total de 39 navios foram abordados e 11 estiveram debaixo de fogo. Além disso, acrescenta o BMI, houve mais 12 tentativas de ataque.

Dos referidos 66 incidentes registados no primeiro trimestre de 2018, o Golfo da Guiné foi responsável por 29. Entre os 114 marinheiros capturados em todo o mundo, apenas um não estava naquela região.

A Nigéria registou, só por si, 22 incidentes. Dos 11 navios que estiveram debaixo de fogo, oito estavam naquele país, incluindo um superpetroleiro (VLCC) de 300 mil toneladas DWT, a mais de 40 milhas náuticas da costa de Brass.

 

 

 

Os comentários estão encerrados.