A construção da Plataforma Logística do Sudoeste Europeu deverá iniciar-se em meados de 2011. O governo da Extremadura espanhola quer promovê-la no canal do Panamá e em Sines.

Cumpridos todos os preceitos legais, a Plataforma Logística do Sudoeste Europeu, a ser construída em Badajoz, junto à fronteira portuguesa, deverá avançar em meados do próximo ano. Até lá, as autoridades espanholas esperam ainda conseguir convencer Portugal a participar no projecto. Um convite formal nesse sentido deverá ser feito na próxima cimeira ibérica de Janeiro.

A ligação ao porto de Sines é uma condição essencial do sucesso assumida pelos promotores da plataforma, que apostam também nas potencialidades que advirão do alargamento do canal do Panamá. Ou seja, tal como o porto português, também a plataforma da Extremadura espanhola quer ser uma porta atlântica para a Península e para a Europa.

No imediato, a plataforma logística estender-se-á por uma área de 132 hectares, dos quais cerca de 84 serão edificáveis, representando um investimento de 60 milhões de euros. O preço do metro quadrado variará entre os 50 e os 79 euros. No limite, a plataforma poderá estender-se até além dos 500 hectares.

A plataforma logística de Badajoz está estrategicamente situada junto à fronteira e deverá estar ligada à futura linha de Alta Velocidade Lisboa-Madrid, e bem assim à linha convencional de mercadorias Sines-Madrid.

Os comentários estão encerrados.