O grupo Jerónimo Martins poderá ser um dos primeiros inquilinos da plataforma logística do Poceirão, adiantou ao “JdN” o CEO da LogZ, Carlos Dias.

Previstas para Abril e depois para Setembro, as obras de infraestruturação da primeira fase da Plataforma Logística do Poceirão arrancaram em Dezembro passado. Os atrasos são atribuídos à complexidade burocrática dos processos.

O objectivo agora é ter a obra concluída em 2012. A primeira fase compreende uma área de 262 hectares e pressupõe um investimento de 350 milhões de euros, reafirmou aquele responsável.

No entretanto, a LogZ está no mercado a procurar clientes para o empreendimento. Carlos Dias referiu a propósito a possibilidade de o grupo Jerónimo Martins instalar ali um centro de distribuição.

Na globalidade, o projecto da Plataforma Logística do Poceirão (de longe a maior do Portugal Logístico) compreende 600 hectares e pressupõe um investimento de 850 milhões de euros. Mas esses são números para um horizonte de 40 anos, precisou Carlos Dias, sublinhando que nesse intervalo haverá tempos de crise e tempos de expansão.

Questionado sobre o impacte da Alta Velocidade na actividade futura da plataforma logística, o administrador executivo da LogZ optou por realçar a importância decisiva da linha convencional exclusiva para mercadorias, prevista para ligar Sines à fronteira.

Comments are closed.