A construção do troço Poceirão-Caia deverá avançar entre Fevereiro e Março de 2011, disse hoje à “Lusa” Armindo Pinho Martins, director-geral da Elos, concessionária responsável pelo projecto.

O arranque das obras do troço que faz parte da futura linha de Alta Velocidade Lisboa-Madrid ainda não tem uma data exacta, uma vez que faltam licenças ambientais

Segundo o director-geral do consórcio responsável pela obra, o facto de a Refer e a Rave terem retirado do Tribunal de Contas (TC), no mês passado, o pedido de visto prévio ao contrato não afectou até agora o ritmo dos trabalhos, que continuam a avançar “na mesma velocidade”, afirmou Pinho Martins.

Caso a obtenção do visto demore um ou dois meses, o calendário não estará em causa, mas se o processo se prolongasse por mais de um ano a situação tornar-se-ia “grave”, considerou aquele responsável.

Os dados divulgados por Pinho Martins avançam para um investimento global neste troço superior a 1521 milhões de euros

O consórcio Elos – Ligações de Alta Velocidade, é co-liderado pela Brisa e pela Soares da Costa e integra ainda a Iridium Concesiones de Infraestructuras, do grupo espanhol ACS, Lena, Bento Pedroso, Edifer, Zagope, a norte-americana Babcock & Brown Limited, o BCP e a Caixa Geral de Depósitos (CGD).

O Governo acordou com o PSD, no âmbito da discussão do Orçamento de Estado, a reavaliação de todas as PPP, incluindo as da Alta Velocidade. Mas até ao momento o consórcio vencedor da PPP Poceirão-Caia não terá ainda recebido qualquer informação oficial. E o primeiro ministro tem insistido em que a obra é para ir mesmo para a frente.

Os comentários estão encerrados.