As companhias marítimas atrasam-se cada vez mais. O cumprimento de horários caiu em Fevereiro para o pior nível em 12 meses, para 62,7%, de acordo com o Carrier Performance Insight da Drewry.

MOL

De acordo  com o índice, a média de cumprimento horário caiu nos cinco meses anteriores e fechou Fevereiro no ponto mais baixo desde que os conflitos laborais atingiram a Costa Oeste dos EUA, quando a média se fixou nos 55,2%.

Além da média de cumprimento horário ter descido, o desvio no prazo expectável de chegada dos navios aos portos de escala aumentou para 1,2 dias no mês passado, contra 0,9 dias em Janeiro.

Somente em duas das dez rotas analisadas pelo Carrier Performance Insight se verificou uma melhoria da pontualidade em Fevereiro face a Janeiro: na rota transatlântica a melhoria foi de 19,6 pontos percentuais, para 60,8% (mas os resultados de Janeiro foram afectados pelo mau tempo); e no Europa-América do Sul melhorou quatro pontos, para 89,1%.

MOL mantém liderança

Pelo terceiro mês consecutivo, o “top” três da pontualidade horária foi ocupado, em Fevereiro, pelas mesmas companhias.

A japonesa MOL manteve a liderança, não obstante a sua pontualidade ter caído de 82,7%, em Janeiro, para 73,6% no mês seguinte. O segundo posto foi ocupado pela Wan Hai (71,4% em Fevereiro, contra 79,5% em a Janeiro). E no terceiro lugar ficou a Maersk Line, com uma média de 70,1% em Fevereiro, contra 77% no mês anterior.

Em Fevereiro, apenas a MSC e a ZIM conseguiram ligeiras melhorias na fiabilidade horária. A diferença entre as companhias mais e menos fiáveis foi de 18 pontos percentuais no mês passado.

A Drewry prevê que em Março se registe uma ligeira melhoria na p0ntualidade do transporte marítimo de mercadorias. Desde a consultora avisam, porém, que as taxas de cumprimento horário se deverão manter, ainda assim, abaixo das boas performances do segundo semestre de 2015.

 

Os comentários estão encerrados.