A frota inactiva de porta-contentores atingiu um máximo histórico de 2,72 milhões de TEU no fim de Maio, de acordo com a Alphaliner.

 

Juntos, os porta-contentores imobilizados representam 11,6% da capacidade da frota mundial, acrescenta a consultora.

A HMM destaca-se, tendo chegado a ter um terço da sua frota (em termos de capacidade) paralisada. Aliás, só a companhia sul-coreana representa 32,9% do total da frota inactiva listada pela Alphaliner.

A Alphaliner nota, porém,que cerca de um quarto da frota inactiva da HMM está em operações de instalação de filtros de gases de escape (scrubbers), enquanto outro quarto está parado devido à mudança do operador asiático da aliança 2M para a THE Alliance.

Por outro lado, a HMM está em processo de lançamento de vários mega-navios de 24 000 TEU de capacidade, o que poderá agravar a situação no curto prazo. Por exemplo, estima-se que o primeiro, o HMM Algeciras, possa ficar inactivo logo após a viagem inaugural, que ainda decorre.

Em sentido contrário, a Wan Hai, companhia de Taiwan especializada nos tráfegos intra-asiáticos, tinha, no fim de Maio, de acordo com a Alphaliner, apenas 1,8% da sua frota em estado inactivo.

Também a CMA CGM tem uma percentagem baixa de frota inactiva (somente 2,3%).

A Alphaliner espera que a frota inactiva global atinja o pico em breve, à medida que muitos países entram em desconfinamento no âmbito da pandemia de Covid-19 e que a procura começa a dar sinais de recuperação.

“Há sinais encorajadores de que as companhias sobrestimaram o nível de contracção da procura em Maio, e a escassez de capacidade em certas rotas já começou a aumentar as tarifas spot”, observa a Alphaliner no seu mais recente relatório semanal.

 

 

 

This article has 1 comment

  1. A “culpa é deles que foram garganeiros” é injustificável e irracional as dezenas de MEGA PORTA CONTENTORES PANAMAX entregues nos últimos 10 anos, de mais de 16.000 TEU, de + de 18. 000 TEU e por entregar de + 20.000 TEU, absurdo total !