As empresas do Interior podem candidatar-se a partir de hoje ao desconto extra de 25% nas portagens que lhes é especialmente destinado, anunciou o  ministro do Planeamento e das Infraestruturas, em Mangualde.

O encontro com os jornalistas serviu para Pedro Marques lembrar o “segredo” dos novos descontos nas portagens, estão em vigor desde o passado dia 1 mas superados pelas notícias dos aumentos.

A principal novidade dos descontos é mesmo o desconto de 25% nas portagens para todos os veículos de mercadorias afectos a empresas com sede e actividades em territórios de baixa densidade.

Pedro Marques disse que, a partir de hoje, as empresas já podem apresentar o seu pedido ao Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) para terem acesso a esse desconto adicional de 25%.

“Durante os primeiros três meses de implementação da medida, podem fazer o requerimento e beneficiar retroactivamente do apoio, a partir de 1 de Janeiro”, esclareceu.

O ministro referiu que essas empresas terão de “atestar que têm pelo menos 50% dos seus trabalhadores a residir na [região de] baixa densidade, que têm a situação contributiva e fiscal regularizada” e entregar a documentação habitual de identificação da empresa.

“Esse desconto, no caso das empresas da baixa densidade, não será só para os veículos das classes 2, 3 ou 4. Será um desconto que também se aplicará aos veículos de classe 1, desde que sejam veículos de mercadorias”, acrescentou.

Descontos até 80%

Somados todos os descontos possíveis, a redução de custos face ao regime geral de portagens pode chegar aos 80%, salientou o ministro.

Pedro Marques detalhou que o novo regime prevê mais reduções além das que já estavam em vigor, “em geral, nas antigas Scut”, e que se aplicam “a qualquer empresa desde que passe nestas autoestradas do interior” do país.

“Depois, há um desconto adicional de 25% que só é aplicável a empresas localizadas em territórios de baixa densidade”, explicou.

Foram, assim, reforçadas as reduções do Regime Geral de Desconto, do qual são beneficiários todos os veículos das classes 2, 3 e 4 afectos ao transporte rodoviário de mercadorias por conta de outrem ou público.

Desde 2016, estava em vigor um regime que já apresentava uma redução do preço das portagens de 15% para o período diurno (8-20 horas) e de 30% para o período nocturno (20-8 horas) e fins de semana. Desde 1 de Janeiro, essa redução passou a ser de 30 e 50%, respectivamente.

A estes descontos acresce o desconto de 25% para as empresas do Interior.

Pedro Marques sublinhou que, comparativamente ao preço das portagens antes de 2016, “essa redução, para a utilização no período nocturno, pode chegar a 80%”, o que considerou “uma boa razão” para que as empresas se fixem nos territórios de baixa densidade.

O desconto no preço das portagens terá também uma maior abrangência territorial. As auto-estradas A28 (Douro) e A13 /A13- 1 (Pinhal Interior) passam a estar abrangidas pelo desconto que vigora desde 1 de Janeiro, juntando-se assim à A4 (Transmontana e Túnel do Marão), A22 (Algarve), A23 (Beira Interior), A24 (Interior Norte) e A25 (Beiras Litoral e Alta).

 

This article has 2 comments

  1. É a última vergonha deste ministro Pedro Marques, depois de até agora o governo ter ignorado a A que liga o litoral ao Alentejo (Évora e Portalegre) também já se anuncia o terminal no Montijo sem que se tenha feito o estudo de impacto ambiental, recordo que o anterior foi chumbado a 100%, mas eles compram e pagam-no !?

  2. … a autoestrada A6 …