Nos primeiros cinco meses do ano, os aeroportos da ANA processaram 55 774 toneladas de carga, uma quebra homóloga de 5,7%.

Entre os principais aeroportos, só o do Porto acumula ganhos, de 3,9%, com um total de mais de 14 mil toneladas processadas.

Lisboa, ao invés, perde 6,5%, com um total de 38 554 toneladas, divulgou a gestora aeroportuária.

Mais perdem ainda os aeroportos de João Paulo II (17%), Madeira (9%) e Santa Maria (58%), com resultados acumulados de 2 506, 2 237 e 1 296 toneladas, respectivamente.

Em Maio, os aeroportos da ANA processaram perto de 12 350 toneladas, menos 4,7% que há um ano, e de novo se destacou o “Francisco Sá Carneiro” com um ganho de perto de 9%. Lisboa cedeu 4%.

A América Central e as Caraíbas é o mercado regional mais dinâmico, com um crescimento de 32% nas cargas processadas nos aeroportos nacionais. Destaca-se o México, muito por culpa da operação do cargueiro da Air France-KLM no Porto, essencialmente ao serviço da Inditex.

As trocas com a América do Norte cresceram 4,3% e com África avançaram 1,9%, enquanto com a Europa caíram 2,4% e com a América do Sul 18,2%.

Angola e Moçambique reforçaram as respectivas posições como mercados preferenciais, com crescimentos de 48% e 40%, respectivamente.

A acrescentar àqueles números está o movimento do correio, que totalizou cerca de seis mil toneladas nos primeiros cinco meses o ano, a perder 4,3% relativamente ao período homólogo de 2011.

No tocante ao transporte de carga aérea com recurso aos aviões-camião, a ANA refere um total de 12 107 toneladas, no acumulado de Lisboa e Porto e desde Janeiro, o que representa já 19% do total de carga aérea processada naqueles dois aeroportos.

Os comentários estão encerrados.