Para fazer face ao rápido crescimento da actividade, a Porto e Caminhos-de-Ferro de Moçambique e a Cornelder de Moçambique propõe-se duplicar a capacidade instalada no porto da Beira.

No ano passado, aquele porto moçambicano movimentou 160 mil contentores e 1,9 milhões de toneladas. Comparativamente com 2010, o crescimento foi de 52% nos contentores e de 58% no volume global.

O porto da Beira serve não apenas Moçambique mas também os países vizinhos do Zimbabué, Malawi, República Democrática do Congo e Botswana. O rápido crescimento da actividade tem levado a Cornelder Moçambique, concessionária, a antecipar investimentos.

Para 2016 estima-se que a capacidade de movimentação de contentores tenha subido para os 400 mil/ano. Mas já em 2015 o porto deverá atingir um movimento real de 300 mil contentores.

O crescimento poderá ser ainda maior, caso se resolvam alguns dos estrangulamentos que hoje afectam a circulação de cargas de/para o porto. A propósito, Félix Machado, director de marketing e vendas da Cornelder Moçambique, citado pelo “Notícias” de Maputo, citou a melhoria da linha férrea de Machipanda, que liga à fronteira com o Zimbabué, a recuperação da EN6 (por onde passam diariamente entre 500 e 600 camiões de/para o porto) e a agilização dos procedimentos alfandegários na fronteira de Machipanda, onde se chega a perder dois dias.

Comments are closed.