A construção do porto de águas profundas de Cabinda, em Caio Litoral, deve iniciar-se no primeiro trimestre de 2016, disse o presidente da Porto de Cabinda.

Porto de Cabinda

Citado pelo “Jornal de Angola”, Nazareth Neto disse ser a construção daquele porto a obra mais importante da empresa a que preside e adiantou estarem criadas as condições necessárias para o início dos trabalhos, “depois de ultrapassados todos os constrangimentos vividos em 2015.”

O futuro porto de águas profundas terá fundos mínimos de 12,5 metros, suficientes para receber navios de grande porte vindos da Nigéria, África do Sul e de outros países, bem como embarcações ao serviço das empresas petrolíferas.

A primeira fase, com um custo estimado em 600 milhões de dólares, comporta um terminal com 675 metros de comprimento de cais e 31 hectares de terrapleno, com quebra-mar para protecção contra ventos e ondulação.

Quando concluídos os trabalhos, prevê-se que o porto venha a movimentar anualmente mais de 50 mil contentores, contra os actuais 26 mil de mercadoria diversa.

A empresa portuária tem igualmente em carteira para 2016 outras obras como as do quebra-mar na zona costeira de Cabinda, com o objectivo de abrandar as calemas que assolam a região, dando melhor segurança à atracagem dos navios e às operações de descarga e carga de mercadorias.

Está igualmente prevista a construção do Terminal Marítimo de Passageiros, tendo em conta o programa nacional de transporte de residentes em Cabinda para outros pontos do país, através de embarcações apropriadas, essencialmente para operar as rotas entre Cabinda, Soyo e Luanda.

Comments are closed.