A operação de dragagem do canal de acesso ao porto de Maputo, de -11 para -14,2 metros de profundidade está concluída, anunciou a Companhia de Desenvolvimento do Porto de Maputo (MPDC, na sigla em inglês).

Porto de Maputo

Com esta dragagem, o porto da capital moçambicana passa a poder receber navios de até 80 mil toneladas, tornando-o mais competitivo nos mercados regional e internacional, com o objectivo de “atingir a meta estabelecida de processamento de 40 milhões de toneladas de carga até finais do ano 2020”, avança a gestora.

Osório Lucas, director executivo da MPDC, disse durante a cerimónia que marcou a conclusão da dragagem do canal que a ideia subjacente aos investimentos que têm estado a ser efectuados é transformar o porto de Maputo “não num porto alternativo mas sim num porto de escolha.”

O ministro dos Transportes e Comunicações, Carlos Mesquita, citado pela “AIM”, disse, por seu turno, que o porto de Maputo ganhou um lugar de destaque na região, consolidando a sua posição de complementaridade aos portos sul-africanos de Durban e de Richard’s Bay.

A operação de dragagem esteve a cargo da Jan de Nul Dredging Middle East FZE que, com três dragas em actividade, removeu cerca de 14,5 milhões de metros cúbicos de sedimentos e material rochoso.

O custo total da operação ascendeu a 84,1 milhões de dólares, financiados com fundos próprios da MPDC ecrpelo Banco Comercial e de Investimentos (BCI) e do Standard Bank e fundos próprios da MPDC.

Os comentários estão encerrados.