A aquisição de duas gruas móveis permitiu reduzir em cerca de um terço o tempo de operação de um navio de 40 mil toneladas no porto de Maputo, Moçambique.

Moçambique - Porto de Maputo

As duas gruas, duas Liebherr da série LHM550, com uma capacidade de elevação de 144 toneladas, foram adquiridas há uns oito meses mas só agora estão devidamente adaptadas às condições operacionais do porto da capital moçambicana. E os resultados estão à vista.

“Uma operação de ferro crómio, por exemplo, que, em condições normais, permite carregar um navio Handymax (de 40 mil toneladas) em três dias e meio, vai agora ser feita em dois dias e meio, ou seja, menos um dia”, disse o gestor de operações da MPDC, concessionária do porto, Alexandre Houane, citado pela “AIM”.

A MPDC investiu igualmente no aumento da capacidade de armazenamento de ferro crómio em um milhão de toneladas/ano, bem como numa gama diversa de empilhadoras, tractores e atrelados para assegurar um manuseamento de carga regular e eficiente.

A MPDC, recorde-se, resulta da parceria entre a estatal Portos e Caminhos-de-Ferro de Moçambique e os grupos Grindrod, da África do Sul, DP World, dos Emirados Árabes Unidos, e

Os comentários estão encerrados.